A Associação Brasileira de Promotores de Eventos (Abrape) divulgou hoje (15) resultados de uma nova rodada de pesquisas com empresas do setor.Os dados mostram que a insegurança sobre a retomada das atividades e novas ondas de demissões podem afetar brutalmente o setor de cultura e entretenimento.

Até o fim de abril, segundo o estudo, os cancelamentos e adiamentos de eventos fizeram com que mais de 240 mil pessoas perdessem os empregos. A tendência é que esse número salte para 563 mil até agosto, podendo chegar, em outubro, a 841 mil.

“É um dado que assusta, mas é muito realista. Se ficarmos estagnados até outubro, mais da metade das ocupações formais deixarão de existir”, disse o presidente da entidade, Doreni Caramori.

Representantes do setor tentam junto ao Ministério da Economia acesso às linhas de crédito emergenciais.

O Antagonista