Blog ImageOs servidores da saúde do Estado, que estão na linha de frente contra o Coronavírus nos hospitais públicos do Rio Grande do Norte, estão acionando a assessoria Jurídica do Sindicato para moverem uma ação na justiça contra o Governo do Estado por conta da falta de pagamento em relação aos 40% de adicional de insalubridade e de descontos indevidos no contracheque.A promessa de pagamento do adicional de insalubridade foi feita pelo secretário de Saúde, Cipriano Maia, no dia 11 de abril, durante coletiva de imprensa.

Eles denunciam ainda que acumulo de faltas de outros meses e até do ano passado, estão sendo descontados todos neste mês, de forma indevida. Segundo a categoria, o ato é inconstitucional, já que esse desconto só deve ser feito com no máximo 30%.

De acordo com os profissionais de saúde, houve casos de servidores dos Hospitais Tarcísio Maia, Walfredo Gurgel, Rui Pereira e do Samu Metropolitano que tiveram as faltas todas descontadas neste mês, ficando com absolutamente nada no contracheque.

São profissionais que se distanciam de seus familiares, se arriscam diariamente no combate à Covid-19 em hospitais sem a mínima estrutura e EPIs, e que recebem como reconhecimento pelo trabalho por parte Sesap os contracheques quase zerados.

Fonte: BlogIsmaelSousa