Damares ao lado do prefeito Joel Rodrigues, em Floriano, no Piauí// Ministério da Mulher/Divulgação

Em meio a uma crise que acaba de derrubar o segundo ministro da Saúde em poucas semanas, Damares Alves aparece disposta a tocar mais lenha na fogueira.Enviada por Jair Bolsonaro a cidade de Floriano, no Piauí, ontem, onde foi checar uma experiência com uso de cloroquina aliado a outros vendida pelas autoridades locais como um sucesso, a ministra voltou encantada.

E trouxe na bagagem uma cópia do protocolo utilizado na cidade e o encaminhou ao presidente. E não ficou aí. Damares anunciou, num vídeo obtido pelo Radar, que irá levar o uso da cloroquina – que ainda divide opiniões e derruba ministros – a todo país.

A ministra conta ainda na gravação que viu um “milagre” em Floriano, onde as pessoas estão se curando.

“A gente veio ver o milagre do uso da cloroquina, associado a outros medicamentos. As pessoas estão sendo salvas aqui em Floriano. Extraordinário! Técnicos da atenção básica aos médicos do hospital regional. O que eles estão fazendo? Salvando vidas. O prefeito daqui de Floriano (Joel Rodrigues) decidiu não cavar covas, não comprar caixões, mas salvar vidas. Estou levando o protocolo que é usado aqui para o Brasil inteiro” – diz Damares no vídeo.

A ministra lembra que a experiência de Floriano tem como base uma politica adotada na Espanha e que tem à frente uma cientista brasileira, Marina Bucar, nascida nessa cidade piauiense.

O tratamento na cidade envolve o uso de cloroquina e azitromicina em pacientes em fase inicial da Covid-19. A Prefeitura de Floriano tem divulgado que os resultados, até agora, são positivos.

A Secretaria de Saúde de Floriano adquiriu trezentos kits dessa medicação.

O prefeito Joel Rodrigues (PP) é aliado do governador Wellington Dias, do PT, uma das razões que desestimulou Bolsonaro a ir pessoalmente conhecer a experiência.

Radar – Veja