Foto: Wikimedia Commons

Quarentena é período de flashbacks. Prova disto é a enxurrada de reprises nas TVs, especialmente de eventos esportivos. Mas parece que o isolamento social está provocando um outro tipo de revival: o amoroso. A empresa de marketing digital AGY47 fez uma pesquisa na qual compara as buscas na internet durante a quarentena por causa do coronavírus com aquelas feitas no mesmo período do ano passado, quando ninguém perdia o sono por causa de uma pandemia. O resultado foi surpreendente. A procura por “Por que estou sonhando com ex?” (na expressão em inglês) subiu nada menos que 2.450%.

Não foi feita uma pesquisa para expressões em português acerca do tema, mas não são raros os brasileiros que têm tido flashbacks com ex.

Um jornalista e escritor de 30 anos, que pediu anonimato por causa do romance atual, contou que acabou sonhando com uma ex após ula live de dupla sertaneja.

“Uma ex me mandou mensagem no meio de um show de uma dupla, e eu acabei sonhando com outra, com que terminei há seis anos. O sonho teve conteúdo adulto”, relatou o morador do Rio. “Não sei realmente como funcionam as maquinações da mente, mas acredito que casos assim, de dias em que muitas coisas acontecem e às vezes o tema aparece, ajudam a reavivar memórias”, acrescentou, que garante não sentir saudade da ex.

Aline Cataldi, psicóloga e mestre em Saúde Mental pela UFRJ, explica que, durante o confinamento em casa, o inconsciente das pessoas tende a buscar alguma forma de prazer.

“A maior parte de nossos sonhos são simbólicos. Eles refletem o que estamos vivendo. Quando estamos passando por períodos de maior estresse e ansiedade, como a quarentena, podemos ter sonho com épocas em que nos sentíamos mais felizes, mais realizados, mais relaxados, mais leves. O ser humano tenta de toda a forma buscar o prazer e evitar o desaprazer, o que é desagradável, o que não é gostoso sentir e experienciar”, declarou ela. “Sonharmos com ex na quarentena muito provavelmente não é por estarmos sentindo falta do ex, querer reatar ou ainda gostar dele, mas sim por lembrarmos de um período em que nossas sensações eram mais agradáveis”, completou.

Uma hoteleira gaúcha, de 50 anos, moradora de São Paulo, também voltou com o ex. Em sonho.

“Sonhei que estávamos em constante viagem, sempre lua de mel. Foi maravilhoso!”, disse ela, que está solteira, também sob condição de anonimato.

Mas a quarentena reservou também para ela um pesadelo com outro ex:

“Sonhei que estava casada com um ex. Era uma sensação de asfixia. Como se eu tivesse sem ar, querendo acordar de um sonho ruim.”

Uma arquiteta, de 34 anos, também teve sonho com um ex durante o isolamento social. Aliás, sonhos.

“Já tive mais de um sonho. Sempre uma confusão, a gente se reencontrando, tentando namorar escondido das outras pessoas. Não sei por quê. Sempre em outros lugares, outras cidades. Entendo que seja a ansiedade do isolamento que fazem lembranças retornarem”, disse a moradora de Porto Alegre, que namorou por 11 anos o persongem dos sonhos. Atualmente está solteira.

Já Fábio (só aceitou revelar o primeiro nome), de 32 anos, viveu o reverso: foi tema do sonho de um ex no meio da quarentena.

“Recentemente, ele me mandou uma mensagem dizendo que tinha sonhado comigo. E foi ele que terminou. Não sei como é com o atual namorado dele, mas sei que não está feliz”, contou o morador de Santo André (SP), que trabalha com logística. “Não sei se ele sente falta de mim ou do tempo feliz que ficou para trás”, completou ele.

Mas ninguém supera uma designer, de 51 anos, moradora de Niterói (RJ). Durante a quarentena ele já teve sonhos com três ex-namorados:

“O primeiro sonho foi com um ex já falecido. Ele aparecia no dia do meu aniversário. Eu ficava feliz e fui escolher a roupa que ele gostaria que eu usasse. No segundo, eu estava em São Paulo para uma reunião de negócios. No fim da reunião, fui a um bar com meu ex e um outro homem, que o meu ex disse que estava interessado em mim. Lembro que no bar tinha sanduíches enormes. De lá fomos para o litoral e tomamos todos banho de mar. Vestidos, é claro. E ainda sonhei com um ex francês. Eu me encontrei com outra mulher. A gente ia denunciá-lo e desmascará-lo.”

A designer, que está solteira, tem uma teoria para explicar o fenômeno:

“A realidade da quarentena impõe um ócio existencial gerado pelo confinamento. O cérebro traz essas alegorias para representar a não ação que se vive.”

Blog Page not Found – Extra